Geral

5 motivos para Médicos precisem de uma gestão financeira

19 de março de 2019

Umas das perguntas que talvez tenha a resposta mais rápida e certa é quem usar? Todos devem fazer uma gestão financeira e correta, para não sofrer resultados inesperados e muitas vezes negativos no final de cada balanço mensal.

Quando fala se em gestão financeira de boa qualidade as vezes pode remeter a grandes empresas, com nomes renomados, claro que elas devem ter (na maioria das vezes tem), um gestor financeiro competente, portanto a gestão está acoplada em tudo, no dia a dia com finanças domésticas e pessoais por exemplo, na vida de todos os profissionais, independente se empresário ou não.

Um dos profissionais que podemos usar como exemplo que deve usar a gestão são os médicos. Você deve estar se perguntando, mas os médicos? Como assim? Onde? Eles apenas não consultam, operam, passam o diagnóstico e receituário quando vamos a seus consultórios, quando não estamos nos sentindo bem. Exatamente, essa é a função primordial de um médico.

Porque é tão difícil organizar as finanças?

Quando pensamos em um consultório médico, não podemos deixar de pensar que apesar do serviço prestado a seus clientes/pacientes, as clinicas não deixam de serem empresas, e que muitas vezes não tem uma necessidade propriamente de contratar um gestor financeiro, na maioria das vezes o controle financeiro e feito pelo próprio médico (proprietário), com auxílio de uma secretaria, salvo de um terceiro caso haja sócio.

Abaixo vamos listar os motivos pelos quais as clinicas não devem fugir a essa regra na parte financeira.

5 motivos para Médicos precisem de uma gestão financeira.

Motivo 1: Falta de módulo de gestão financeira nos softwares da gestão da clínica

Muitas clínicas fazem uso de um software apenas para a agenda dos médicos, arquivar dados dos pacientes, laudos, etc.

O que não deixa de ser importante, mas esquecem do controle financeiro, apenas recebendo o dinheiro de uma consulta paga por exemplo deixando de lado e quando precisa para qualquer outro destino pega o valor e usa, sem fazer esse orçamento, não sabe se aquele dinheiro devia ter sido empregado naquele momento e daquela forma.

Motivo 2: Mistura das Contas de Pessoa Física e Pessoa Jurídica

Esse motivo não é aplicado apenas para médicos e clinicas médicas, é um problema de quase todos os empresários. Esse erro, apesar de ser grave é muito comum. Aí onde entra mais uma vez a gestão financeira, onde irá separar lucros, gastos, físicos e jurídicos.

Não deve se usar o dinheiro do caixa da clínica para pagar uma conta pessoal (internet de casa por exemplo), com a justificativa que será reposto, para isso não tornar vício e até normal. Contas de pessoa física e uma pessoa jurídica é outra, ambas devem ser organizadas e pensadas.

Motivo 3: Não encarar a Clínica como sua empresa

Muitos médicos abrem uma clínica como segunda opção, não deixando de lado os plantões em hospitais por exemplo, o que os fará atender em seus próprios consultórios apenas em ‘horas vagas’, quando não tem consultas em outros consultórios, hospitais.

Com isso podemos ter dois motivos: primeiro não ser visto como bons profissionais já que a clínica não atende com frequência, não tendo uma boa clientela, automaticamente o lucro pode não ser como o esperando, gerando assim mais um problema na gestão financeira.

Motivo 4: Dificuldade na Divisão de Despesas com os Sócios.

Como é normal em muitas empresas, quando passam dos primeiros meses e começam a lucrar fazer a divisão das despesas. Principalmente quando uma das partes investe um percentual abaixo que a outra parte. Mas isso financeiramente e contabilmente não tem muita relevância, no dia a dia.

Pois as contas básicas mensais não irão depender exatamente disso e sim do fluxo do caixa. Pode impactar em caso de término de sociedade, com certeza caso não tenham vão precisar de um bom contador para auxilia-los.

Motivo 5: Análise Tributária

É de suma importância a análise tributária para uma clínica, pois algumas podem se enquadrar em procedimentos de alíquota hospitalar, menos para consultas. Como esse é um tema um pouco mais complexo, deve ser tratado por um especialista, um bom contador pode tomar conta desse item, o que não deve é deixar de ser cuidado, pois uma vez deixando de lado, o gestor pode ter sérios problemas no futuro.

É HORA DE MUDAR

Para concluirmos vimos que uma clínica médica desde a abertura até mante lá aberta, pode ser muito mais complexo do que imaginamos, claro que não impossível, pois mantendo as regras, cumprindo com seus objetivos e compromissos, sejam eles profissionais ou financeiros, sempre irá obter o sucesso esperado.

O que não dá e apenas montar, fazer um bom investimento em equipamentos, local, etc., e simplesmente só atender, sem dar a devida manutenção na parte financeira, fiscal, pois como acontece em alguns casos quando dar conta, pode ser tarde demais e a empresa estar fadada a falência, e o pior, com inúmeras dívidas.

Uma solução é a contratação de um bom profissional de administração, com foco em gestão financeira, para que cada um ‘opere’ com excelência em sua área.

E para o médico/proprietário apesar de todas as medidas já citadas serem importantes, o que ele deve manter consigo, principalmente na fase inicial, é a divisa das contas físicas com as contas jurídicas, se esse item não for bem trabalhado, infelizmente pode levar a um fracasso sem retorno, o que levará a um sonho e investimentos razoável muitas vezes de uma inteira, jogados água abaixo. Mas cada um atuando em sua área, a empresa terá uma excelente ´saúde financeira’, o que a fará ser bem vista tanto interna como externamente.

Deixe um comentário

Mariana Santos

Escrito por:

Mariana Santos

Comentários

O futuro do seu negócio depende somente de você.
Dê o próximo passo!